domingo, 29 de maio de 2011

Bom dia!


Olá, queridos leitores do blog Torre de Palavras!
Hoje é domingo, dia 29 de maio de 2011 e a partir desse dia inicia-se uma nova etapa na minha vida e na vida do meu marido Gustavo.
Esses últimos 10 anos foram intensos na minha vida. Coisas maravilhosas aconteceram e coisas tristes também. Já pensei em desistir e já questionei algumas coisas com Deus! Mas sempre abri meu coração para ser tocada, curada, restaurada e perdoada por Deus. E, apesar da dor, Ele sempre foi fiel.
As aventuras que vivi e que sei que vou viver ainda mais, com mais força e intensidade estão e serão marcadas na minha alma. Pessoas que marcaram que marcam e que vão marcar a minha vida são e serão inesquecíveis.
Com alguns aprendemos a seguir como modelo, com outros aprendemos o que não devemos fazer, com outros simplesmente andamos juntos e um ajuda o outro, levanta o outro e vamos caminhando. Mas, TODOS nos ensinam algo, precioso!
Seremos levantados como Pastores de Adolescentes na Comunidade Evangélica de Campinas. Confesso que tenho medo, mas Deus fala para não termos medo e então, confio Nele! Lanço aos pés dele o medo que sinto e clamo por coragem e ousadia!
“Deus nada sou se o Senhor não agir em mim, a tua graça, o teu amor, a tua misericórdia é o que me impulsiona a agir, falar, orar, louvar. Agradeço-te, Pai, por seu meu Aba Pai”.


quarta-feira, 25 de maio de 2011

Lembranças XV - Coisas de Liliane

Agora vou contar algumas travessuras da minha irmã Liliane, na verdade as travessuras são de outras pessoas, mas ela foi a vítima.... alguns vão pensar: Será que a Liliane é normal hoje? É sim gente, depois eu posto uma foto dela pra vocês a conhecerem. RSRSRRS
Era uma tarde tranqüila no sítio, na Herveira, quando o Tarcísio resolveu moer milho para dar às galinhas, então a Liliane estava observando o seu irmão fazer uma peripécia quando a máquina de moer milho caiu, caiu em cima da Liliane, cortou o buço e foi  levada para o hospital, onde levou 3 pontos.
Outro dia, ou melhor, noite, o Tarcísio resolveu conhecer a máquina de costura e então depois de observar em detalhes como se costurava resolveu fazer um teste, a Liliane estava por perto observando e então o Tarcísio costurou o dedo dela, a agulha atravessou o dedo e quebrou no meio.....
Em uma tarde, tinha uma turma brincando com cano pegando fogo, o que é isso? A brincadeira consistia em pegar um cano de plástico, colocar fogo na ponta e ver a plástico queimando cair na terra, era legal, até porque não tínhamos muitas opções de brincadeira rsrsrsrrs.
Mas estávamos cansados e resolvemos inovar, começamos a balançar o cano queimando e formar desenhos no chão, de repente um desses canos pegando fogo cai em cima do pé da Liliane, e, eu quando vi aquilo sai correndo ao som de Carruagem de fogo e fui salvar a minha querida irmã e puxei com toda força o plástico queimado do pé dela,... imagina a dor????
Ela teve queimadura de 2º grau!
Em outra tarde, eu estava andando com minha bicicleta caloi, quando resolvi levar a Liliane na garupa, ela se sentou e quando tentei pedalar o pedalo não ia, não conseguia mexer, tentei com todas as forças e nada. Então fiquei preocupada, pensei, minha bicicleta quebrou, quando olho pra trás a Liliane está chorando em silencio, e o dedo dela estava na corrente da bicicleta todo estraçalhado e ela nem para gritar....

The Power of Words legendado pt

terça-feira, 24 de maio de 2011

Lembrança XIV

Ainda com 6 anos ela me fez outra pergunta....
A Laiz chegou chorando, muito triste e com várias interrogações sobre sua cabeça e perguntou em meio as lágrimas:
- Tata, por que eu nasci por último? Eu não gosto de ser a última.
Então, sem me preocupar, respondi pra ela:
- Essa é fácil Laiz, aconteceu assim – nós estamos em fileira na corrida para nascer, eu, Tarcisio, Liliane e você. Então quando deu a largada eu saí na frente, em disparada, porque sou a mais forte, a mais rápida, a mais legal, e então eu nasci primeiro.
Logo depois veio o Tarcísio, e você era a terceira, mas como a Liliane era muito “pamonha”, percebeu que ela não iria conseguir ganhar, te deu uma rasteira, você caiu no chão, quando você se levantou e se recuperou para correr, a Liliane já tinha nascido, foi por isso que você nasceu por último.

Ela ficou me olhando, pensativa, e foi até onde a Liliane estava agarrou os cabelos dela e muito brava perguntou:
- Por que você me deu uma rasteira... eu não queria ter nascido por último.
A Liliane não sabe o porquê de ter recebido aquele puxou no cabelo até hoje. Kkkkkkkkkk

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Lembrança XIII

Esses dias eu estava pensando, por que eu gosto de filosofia???? E achei uma resposta para essa pergunta... quando minha irmã Laiz tinha 6 anos ela me fez duas perguntas que são muito difíceis de serem respondidas e acredito que a minha perspicácia em dar uma resposta a essas perguntas me fez buscar mais o porquê das coisas.
Um dia a Laiz chegou perto de mim chorando muito, desesperada, e eu perguntei:
- O que foi Laiz, o que está acontecendo?
Ela me respondeu
- Eu não quero ficar velha.
Pensei comigo mesma, ela esta preocupada em ficar velha com 6 anos de idade....
- Por que você não quer ficar velha, Laiz?
- Eu não quero ficar enrugada. Respondeu aos prantos.
- Ah!!! É por isso. Não fique preocupada, quando você ficar velha e enrugada e só pegar o ferro de passar roupa e passar no rosto, fica tudo lisinho...
A Laiz ouvindo a resposta, me perguntou:
- Então, por que a vó não passa o ferro na cara dela???
Fiquei sem resposta e imaginando a Laiz correndo atrás da minha avó com o ferro de passar roupa. Kkkkkkkkkkkkkkkkkk

domingo, 22 de maio de 2011

Perdão - Giovana M.


O perdão é algo que muito de nós,  não damos valor,  nem ao menos sabemos o real significado.
  Perdoar, não é esquecer, não tem como esquecer algo que já passou. Mas, perdoar é deixar que aquilo não te incomode mais. E, a única coisa que leva ao perdão, é o amor. Não o amor conjugal, mas o amor fraternal.
  Quando alguém te pede desculpas, ou perdão, você automaticamente diz que está tudo bem, mesmo se não estiver, pois seria uma grosseria recusar um perdão.
  Sim, quando alguém lhe pede perdão, é bom que a resposta seja um sim, melhor ainda se for um tudo bem sincero. Mas, devemos ter a consciência, de que o perdão, não é só falar: está tudo bem. Se aquilo ainda te afeta, ore, ore á Deus pra que tire aquela mágoa de ti. Para que te ajude a perdoar.
  O perdão, e o pedido de perdão, são uma das coisas mais nobre que um ser humano pode fazer. O pedido de perdão, significa aceitar um erro seu, significa ver, que não somos perfeitos, mas que temos que procurar a melhorar cada dia mais. E o perdão, nada mais é do que nossa semelhança á Deus, o amor. Perdão, não é esquecer, jamais. Perdoar é não deixar que aquele ato te interfira. É voltar a rir normalmente, voltar ao cotidiano, mas sempre sabendo, que o erro existe, mas que não mais te machuca.
  A gente precisa disso precisa exercer isso. E, quando vierem os elogios, consagrá-los á Deus, e não á nós mesmos.  Pois, se o perdão existe, é por dádiva de Deus. É porque Deus nos ama, aceita que erramos, e nos dá uma nova chance para recomeçar.
  O perdão é o recomeço, é a atenção, o amor, é uma forma de dizer: “Ei, você errou, assumiu seu erro, se arrependeu. Eu te amo me preocupo com você, sei que pode melhorar. Vamos tentar mais uma vez.”
  Por isso, dê tempo para alguém e perdoar, dê tempo a si mesmo, para olhar mais para o seu erro, e realmente assumir ele. Nem que seja para pedir perdão novamente, depois de algumas semanas, meses, ou anos. Mas, que esse segundo pedido de perdão, seja sincero, que o outro reconheça isso, e que saiba te perdoar, não por educação, mas por amor a ti, e assim, por amor á Deus.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Uma Nova Aventura!


Há 10 anos eu cheguei a uma Igreja convidada para assistir uma peça de teatro, minha história começou ali. Minha caminhada se iniciava naquele dia, naquele lugar, com aquelas pessoas. Não sabia que TUDO iria mudar, que os sonhos iriam se transformar e que cada tropeço, cada choro, cada dor, cada desespero, angústia, lamento, alegria, cada pessoa, tinha passado por minha vida com um propósito, ainda não vejo o quadro todo, ainda não sei o porquê de tantas coisas, mas minha visão não está limitada ao acaso, não está fechada em uma caixa, não está presa, não está morrendo.
Não vejo sentido para muitas coisas, mas tenho FÉ. Passei a crer em algo que não vejo a esperar algo que ainda não aconteceu.
Meus pensamentos foram libertados, minha alma agora dança, meus sonhos voam alto!
E clamo por liberdade, por alegria, por filhos e filhas que voltem para casa e se sintam amados e amadas pelo criador de todas as coisas, pelo Pai, pelo salvador Jesus! Que se sintam confortados e ajudados pelo Espírito Santo!
Hoje a cada dia eu vivo uma nova aventura!

terça-feira, 17 de maio de 2011

Violência nas ruas - Texto da Giovana M.


  Sabe, ultimamente,  eu ando tão assustada com essa sociedade em que vivemos. No último sábado, na reunião de adolescentes da minha igreja, nos juntamos em pares para orar pelo país, e, uma coisa que frisamos bem, foi pra que o país não fosse reconhecido somente pela violência, mas pela sua fé.
  No último mês, duas pessoas que eu amo demais foram vítimas dessa violência. Minha mãe, foi assaltada a mão armada, enquanto deixava uma amiga em casa. E um amigo meu, enquanto ia para a igreja, tentaram assaltar ele.
Ambos estão assustados, e isso me afeta tanto! A raiva, eu sei que não é de Deus, mas oro pra que isso passe, e, conforme minha professora fala, a melhor maneira de soltar a raiva, pode ser escrevendo sobre, então,  aqui estou eu.
  Não vim aqui só pra falar do quanto nossas ruas estão violentas (também, mas, não só para isso). Vim para fazer um apelo, sabe, por que você vai querer tirar uma coisa que não é sua, de outra pessoa? Se você quer aquela coisa, batalhe por ela, faça por merecer!
Dia a dia, pessoas são mortas, muitas vezes, por causa de um celular, um carro,  coisas que não são essenciais para nossa sobrevivência. Sim, facilita muito, mas, matar por isso, é simplesmente inacreditável, de maneira muito ruim. O simples fato de estar matando, já torna tudo isso um horror. Agora, matar por uma coisa desnecessária é realmente muito brutal!
  Então, como minha mãe sempre fala, você, que vai sair para andar na cidade, para trabalhar, estudar, ir ao culto, ou qualquer outra coisa: não fale com estranhos, não deixe coisas de valor expostas, sempre diga a uma pessoa aonde está indo, se sentir um ‘clima estranho’ no lugar, saia de perto, se estiver em lugares escuros durante a noite, faça o caminho mais longe, mas, não passe por lá.
  Sabe,  essas coisas, que a gente sempre esquece de fazer, mas que sempre nos falam? Então. Sabe, Deus está conosco a todo tempo, ele nos protege, mas, perae, saí ‘pedindo’ pra te roubar, não há nada que Ele possa fazer! Se você não se cuida, não batalha pra conseguir algo, de nada adianta.
  Então, você ora todos os dias, antes de sair de casa, para que Deus te proteja de todo mal, perfeito, continue fazendo isso. Mas também não adianta você orar, e sair com uma corrente de outro, com o celular na mão, um relógio super descolado, um tênis de marca muito chamativo. Seja prudente!
  Agora, se você toma todos esses cuidados, e ainda assim já sofreu tentativa de assalto,  ou foi assaltado,  ou violência urbana, qualquer outra coisa, mantenha a calma, pois Deus tem um propósito para tudo.
  Mais uma forma de prevenção é, se ocorre muitos fatos parecidos, em uma determinada região, como a região da sua escola, trabalho, ou até mesmo no seu bairro, se você não é adulto, procure um, peça para que informe a ronda escolar, guardinha do bairro, para reforçar a segurança naquele território.
  Sabe, se cada um fizer sua parte, deixando de pensar: “Ah, eu faço. Mas o carinha lá da esquina não faz, então não adianta nada!” (quer me deixar brava,  fala isso pra mim, eu fico muito indignada). Se cada um fizer sua parte, a vida fica muito mais gostosa de ser vivida, a sociedade fica cada vez mais solidária e participativa, prestativa, entre tantas outras coisas que faltam hoje em dia.

domingo, 15 de maio de 2011

Lembrança XII Laiz

Essa lembrança é muito especial. Lembro muito bem quando a minha mãe descobriu que estava grávida do seu quarto ou quarta filho (a). Foi uma surpresa, muito boa, é claro! A barriga cresceu e chegou o dia do nascimento do nosso irmão ou irmã... Ficamos em casa com uma moça que estava ajudando a minha mãe a cuidar da casa e meu pai foi junto com a minha mãe para o hospital... Logo chega a notícia que nasceu UMA MENINA a LAIZ ISAURA MEDEIROS (Meu pai colocou o segundo nome da Laiz de Isaura, pois dois meses antes a mãe dele havia falecido, e se chamava Isaura) ficamos todos muito contentes com a notícia e então o pai veio nos buscar para visitarmos a mãe. Lembro que quando olhei a minha mãe com os lábios brancos, parecia que ela estava tão “acabada” que fiquei pensando comigo: nossa como deve ser horrível ter  um filho... Voltamos para casa e no outro dia minha mãe, que tinha feito cesárea pela primeira vez, teve alta e ela, a Laiz iriam para casa. Nesse dia choveu tanto, que o fusquinha do amigo do meu pai não conseguiu chegar em casa, parou atolado no barro no meio do caminho. Nós estávamos na varanda olhando tudo acontecer, então meu pai embrulhou a Laiz em uma coberta e a trouxe para casa, e entregou para a moça que estava cuidando da gente, depois voltou e trouxe a minha mãe, que quase não conseguia andar, ela fica encurvada, lembro tão bem dessa cena, que tenho vontade de chorar. A Laiz era um bebe lindo! Apaixonamos-nos por ela assim que a vimos.... Parabéns Laiz pelos seus 24 anos!

sábado, 14 de maio de 2011

Lembranças XI

Em Herveira nós presenciávamos muitas tempestades. Uma foi muito marcante pra mim, era férias de final de ano. E muitos parentes do meu pai estavam nos visitando. No final da tarde começou a chover e ventar  e isso aconteceu rapidamente, de repente nossa casa começou a destelhar, minha mãe colocou a gente debaixo da mesa, nós chorávamos muito, entrava barro, terra, água dentro de casa e as telhas começaram a cair. Quando o vendaval passou, a tempestade acalmou, fomos encontrar um sofá da minha tia que ficava na varanda no meio da plantação. A caminhonete do meu tio amassada devido a uma pedra (granizo) que caiu sobre ela e várias casas destelhadas... depois ríamos muito, pois eu a Liliane e o Tarcísio ficamos escondidos embaixo da mesa, como se lá nada iria acontecer com a gente! Minha mãe tem medo de chuva e ela chorou bastante! No outro dia todos os homens da casa estavam arrumando telhado, buscando coisas que haviam sumido e organizando a vida novamente!

terça-feira, 10 de maio de 2011

Lembranças X

Em 1984, minha família mudou-se de Cruzeiro do Sul para a Cidade de Campina da Lagoa (Herveira). Lá Tudo era muito diferente. A terra era vermelha, não tínhamos água encanada, o banheiro era fora
de casa (mictório), o chuveiro era aquele que parece um balde com um chuveirinho que a gente abre e fecha, lembro que minha mãe esquentava água para colocar nesse balde e assim a gente tomava banho.  Mas o mais difícil eram os ratos. Minha casa não tinha forro, conseguíamos ver as vigas do telhado e a noite, quando íamos dormir, víamos os ratos andando sobre as vigas, Lembro-me que chamava a minha mãe chorando, falando que estava com medo de dormir...
Como tínhamos que buscar água na mina, nós (as crianças) ficamos doentes, dor de barriga, diarréia...
Eu não sei quanto tempo tivemos que viver assim, mas não demorou muito para a luz elétrica chegar e a água encanada também.

Pavão Pavãozinho - CLIPE OFICIAL - MK Music

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Lembranças IX

Tarcisio

O meu irmão, Tarcisio, sempre foi suuuper calmo, nunca fez nenhuma estripulia rsrsrsr. Ironia. Ele foi o mais bagunceiro... quando ele tinha um aninho ele ganhou um sapato de couro, minha mãe colocou o sapato nele e ele parecia um soldado marchando. “Tava” se achando com o sapato novo. Minha mãe para conseguir tirar uma foto dele, precisou entregar a ele uma flor, enquanto ele estraçalhava a flor minha mãe conseguiu tirar uma foto e registrar o momento... Ele foi crescendo e amava brincar com fogo, uma vez colocou fogo no meu quarto. Gostava de maltratar os gatos, prendendo o rabo deles na porta e trancando eles no forno quente. Subia no telhado da casa... Era uma gracinha esse meu irmão! Depois conto mais historinhas dele!

sábado, 7 de maio de 2011

Postagem de Pedro Henrique Caus - aluno Crescer 6o Ano

Felicidade não se compra


Às vezes, quando estamos tristes, pensamos porque não podemos estar felizes.
Mas algumas pessoas pensam que com aquele dinheiro que eles têm no banco podem trazer a felicidade. ERRADO. Muitas vezes, nesses momentos, tentamos procurá-la, mas não a achamos porque a felicidade, a amizade e o amor não se compra e nem se vende por ai.
Pois o amor, a felicidade e a amizade verdadeira só uma pessoa pode nos mostrar. Quem vai nos proporcionar tudo isso e assim seremos muito felizes - é Deus, então não vamos tentar procurar vamos deixar ele nos ajudar.
E pense também:
Quando nós estamos tristes, sempre chega a nossa mãe, nosso pai ou qualquer outra pessoa que se PREOCUPA com a gente.
Então: pense, lembre e principalmente reflita tudo isso e nisso que vou falar também:
"Amigo é aquele que conhece e ama você como você é, e não pela fama, pelo dinheiro e nem pelo jeito de se vestir, PENSE NISSO".

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Consegui

Uma semana acabou e eu estou bem cansada… mas Muito feliz! Na verdade eu nem sei explicar muito bem porque estou feliz! Porque, apesar do cansaço físico e emocional, meu coração está radiante! Amanhã tem Filhos da Luz, domingo comemora-se Dia das mães, uma data comercial, mas bastante significativa. Sinto como se estivesse próxima a uma represa e percebo que ela está prestes a arrebentar e isso não é algo ruim, é muito bom! Então, fecho os olhos para sentir a força arrebatadora das águas que virão sobre mim, pois até chegar próxima a essa represa o caminho não foi fácil, então estou cansada e alegre, com uma sensação de: CONSEGUI...

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Lembranças VIII

Quando eu tinha 5 anos, o Tarcisio 1 e a Liliane 5 meses minha família mudou-se de Cruzeiro do Sul para um sítio na Herveira. O Sitio tinha 12 alqueires de terra, um rio cortava os fundos da propriedade, tinha um pomar, com vários pés de mexericas, laranja, goiaba, ameixa, pêssego e limão.
Nesse sítio, a minha família, a família do Tio Cidinho e Tia Cida e mais tarde a família do Tio Lourival e Tia Benedita moravam lá. Tínhamos uma vizinha próxima a D. Lourdes, seus filhos se chamavam Angelita, Ednéia e Luiz (conhecido como Luizinho) a D. Lourdes era viúva, foi a primeira vez, que eu me recordo de ter conhecido alguém que não tinha o marido, que era viúva, a D. Lourdes fazia uma cuca... hum... maravilhosa. Eu gostava muito de tomar café na cada dela.
O Sítio onde morávamos ficava a 1 km da cidadezinha, mas eu achava muito longe... meu pai trabalhava na roça e a tarde quando ele apontava longe no carreador com seu chapéu de palha, calça jeans, camisa e botina, às vezes com a inchada nas costas eu e os meus irmãos íamos correndo ao encontro dele gritando: Papaie, Papaie, papaie rsrsrsr. Um dia minha mãe estava fazendo uma surpresa para o meu Pai, era aniversário dele e no fim da tarde quando ele estava chegando em casa, saímos ao encontro dele gritando papaie e a Liliane disse assim pra ele: pai a mãe está fazendo uma surpresa para o Senhor, mas a gente não pode falar nada... demos muitas risadas naquele dia, que se eu não me engano terminou com o meu pai tocando moda de viola e contando alguns causos...

terça-feira, 3 de maio de 2011

Lembranças VII

Coisas que eu gostava e sonhava quando criança:


Eu gostava de brincar de casinha em cima de uma árvore








Me sentia muito feliz colhendo algodão – colhia uma arroba (aproximadamente 15 kg) por dia.


Sonhava em comer marmita na roça 10 horas da manhã


Desde que tenho 9 anos sonhava em escrever um livro, amava ler os livros da caixa de papelão da escola – chamada de biblioteca – escrevi uma história chamada Homem de Papel, quando tinha 10 anos e vendi por 10 cruzeiros rsrsrsr. Escrevia poemas e vendia todos...


Sempre tive o sonho de conhecer o continente Africano, minha mãe me falava que isso não era sonho que eu tinha que ir para a França. Rsrsrsr


Queria erradicar a pobreza... só de lembrar dos barracos de lona da Herveira... eu começo a chorar.


Amanhã tem mais histórias... beijos

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Lembranças 6

Quando eu tinha 4 anos nasceu o meu irmão Tarcísio, não foi fácil esse período pra mim, pois eu estava ali, reinando sozinha, minha vida estava tranqüila, sem problemas… e daí chega um cara que tenta roubar o meu lugar. Não gostei muito disso não, então tive um plano espetacular, fiz greve de fome… isso mesmo, eu não comia sozinha, só comia se alguém desse comida na boca. Mas uma ano depois nasce minha outra irmã a Liliane e daí já era todo o meu plano, podia fazer greve de fome ou sei lá o que mais, agora tinha dois bebês em casa… fui coloca de escanteio… que vida dura essa… rsrsrsrrs

Preconceito!

Olá alunos, colegas, professores
Nesse bimestre Estamos estudando (No colégio Renovatus) sobre preconceito étnico, de gênero/sexismo e religioso. Vamos fazer uma pesquisa, responda a pergunta:

Você já sofreu algum tipo de discriminação? Conte como foi? Escreva pra gente.

O objetivo desse projeto é:
Discutir, questionar e combater todas as formas e manifestações de preconceito e discriminação, especialmente por razões de identidade étnica e cultural; credo; opção política, ideológica e sexual; condição física ou mental, econômica e social.
Promover a cidadania e a democracia
Contribuir para o desenvolvimento da democracia e da cidadania utilizando a Internet.
Fortalecer a democracia com o uso de novas tecnologias da informação.