terça-feira, 21 de abril de 2015

Percepção

Se a sinceridade te ofender, peço, por favor, não se ofenda, pois é tão bom poder escrever o que realmente pensamos e sentimos e vivemos e o que realmente somos. É tão bom poder ser transparente no grau máximo em que podemos ser e assim sermos livres.

Tenho uma história para contar, uma história que só eu conheço, a história da minha percepção do mundo, de Deus, das pessoas. Percebi que Deus existia quando já era jovem, antes eu aceitava as falas, crenças de outras pessoas. Percebi o mundo quando tinha 10 anos e andando entre os barracos da Herveira, cidade que fica no Estado do Paraná, eu vi a realidade: a miséria que assola milhares de pessoas que estão no interior, esquecidas, morrendo antes da morte física, enlouquecendo. Percebi as pessoas em diferentes épocas, em cada uma delas eu conheci uma faceta diferente do ser humano.
Quando criança percebi que os adultos mentem, mas que muitos desejam fazer a diferença, que outros só pensam em si, que os adultos machucam, são egoístas e que quando há um egoísta a outra pessoa que sofre e chora. Percebi o olhar inocente e sonhador, mas percebi o medo e a desilusão. Quando jovem percebi a diferença que as pessoas fazem do rico e do pobre, percebi o olhar de piedade daquele que tem dinheiro para aquele que não tem, percebi que aqueles que nos amam e se importam conosco realmente fazem tudo para nos ajudar, percebi minha miséria. Percebi que as pessoas sentem inveja e podem te maltratar por isso, percebi que ter um amigo é tão difícil quanto viver uma vida inteira sem doenças, e então, percebi a solidão, a tristeza de estar em meio a multidão, mas só... O tempo passou conheci e percebi Deus tão perto que eu nem precisava me esforçar para correr atrás, percebi que ele estava ao alcance de uma oração. Uau! E então baixei a guarda e comecei a acreditar na sinceridade das palavras das pessoas que também haviam percebido esse Deus...
Mas... foi aí que percebi a crueldade, a falsidade, a mentira, a desonestidade, foi aí que percebi que alguém pode mentir descaradamente somente para atrair outras pessoas e, assim, se fazer de vítima e destruir sem que outros percebam: amizades.
Uau! Perceber a crueldade disfarçada de beleza, perceber a monstruosidade sendo espalhada em forma de fé, perceber a manipulação inescrupulosa no discurso do desonesto se passando por coitado, caí do cavalo!
Agora, percebo que muitas pessoas gostam de você não somente pelo o que você é, mas pelo o que pode oferecer a ela. Que muitos nunca irão te ajudar gratuitamente, mas só irão te ajudar e sorrir pra você esperando o momento para que você possa pagar pela ajuda. Que se você não supre todas as expectativas, você não serve e não presta. Que se você não fica o tempo todo correndo atrás, eles vão te odiar.
Bom, percebi muitas outras coisas, mas tenho buscado perceber pessoas que são transparentes, sinceras, que não medem palavras para conversar, que vivem da verdade, que amam de verdade e que precisam de você não para te sugar, mas porque sua presença é tão importante quando o ar que a pessoa respira. Estou percebendo que o ser humano pode ter os piores defeitos, mas se ele for sincero com você, olha, tudo muda...
E muda para melhor!
É bom receber sorrisos e elogios? Claro que é. Mas ele fica amargo quando se descobre que foi falso...
Então é melhor a sinceridade, a crítica da pessoa verdadeira, que machuca e te faz chorar, mas que não te abandona e esta ao seu lado sempre, mesmo mais do que distante, porque assim você sabe quem ele é e não precisa ficar pisando em ovos.

Ah se falássemos a verdade...

domingo, 12 de abril de 2015

PRECONCEITO

Não me acho conservadora, mas me chamam assim. Não sou, com toda certeza, fundamentalista, mas me chamam assim e por ter esses rótulos, quero escrever algo.
Estamos passando por uma nova transformação dos pré-conceitos da nossa sociedade. Dos conceitos pré-estabelecidos.
Há alguns anos passamos por uma transformação em relação às roupas das mulheres, mulheres usando calça, mulheres colocando roupas de “homem”, foi um escândalo. Bom, agora estamos vendo homens colocando roupas de “mulheres”, que escândalo, não é? Que absurdo!

É isso, nós vamos usar roupas que são roupas, e pronto!!!!