terça-feira, 29 de março de 2011

O Sonho!


Um grande Sonho foi plantando em um vale, lá ele cresceu sem cuidados, de forma rude, sempre esperando o Tempo para suprir as necessidades de água, luz, terra. Houve um tempo que o sonho quase morreu sufocado pela erva daninha, mas ele resistiu aos espinhos, às tempestades, às pedras, à seca e cresceu e cresceu. O sonho já estava enorme, com raízes profundas, isso foi necessário para sobreviver à seca, teve que buscar água nos lugares mais profundos; galhos fortes para resistir à tempestade; e tinha chegado a hora de florescer, dar frutos, bons frutos, pois por várias vezes o sonho floresceu e deu fruto, mas eram poucos e não eram bons.

Mas havia chegado o Tempo de frutificar, de longe se podia ver o Sonho, as flores eram encantadores, cheias de vida, exalava um perfume maravilhoso. Os passarinhos cantavam e faziam ninho no Sonho, era alegria.

Os frutos nasceram, cresceram e amadureceram. Quanta alegria para o Sonho! Pasmem, não tinha ninguém para se alimentar dos frutos, alguns bichos se saboreavam dele, mas nenhuma pessoa, ninguém. Nada. Mas o sonho não deixou de florescer e frutificar, todos os anos, todos os anos dava frutos e mais frutos.

Certo dia havia um pastor cuidando de suas ovelhas, e sem entender como ou porque se perdeu. Levava suas ovelhas para lugares onde havia água e boa grama, mas o caminho o estava conduzindo para lugares de difícil acesso, sem comida e sem água. O pastor olhou para o céu e perguntou: Senhor, o que estamos fazendo aqui, o que o Senhor quer nos ensinar nessa trajetória? Minhas ovelhas estão sedentas, com fome e não tenho nada para dar a elas? Mostra-me, Senhor, o que devo fazer?

Olhou para a mata cheia de espinhos, ervas daninhas, um terreno irregular e cheio de pedregulhos e um sol ardendo nos seus lombos, e... Não era possível. Ele viu um Sonho, suspirou fundo, sentiu um cheiro agradável que vinha daquele Sonho e levou as ovelhas até lá com um sorriso largo.

A sombra era maravilhosa, em grupos as ovelhas se organizaram, o pastor colheu muitos frutos daquele Sonho e entregou as ovelhas que se saboreavam com eles, se fortaleceram e estavam preparados para continuar a caminhada. O pastor pegou muitos outros frutos e os levou para se alimentarem no caminho para os alugares verdes e cheios de vida e também para cultivar muitos outros Sonhos para que pudessem alimentar muitas outras pessoas/ ovelhas.

O Sonho ficou tão feliz de não ter desistido durantes esses anos de frutificar que ao balançar os galhos louvava a Deus por ter cumprido o propósito desse sonho e por multiplicar em outros lugares.

Um comentário:

Deixe suas palavras nesta Torre!