domingo, 13 de março de 2011

História em capítulos - capítulo 6

Repouso é igual a esperar, esperar e se desesperar. Ficava em casa, deitada na maioria das vezes, os conselhos que eu recebia era: só levanta para ir ao banheiro, não vá nem beber água, peça para alguém. Quando eu ouvia isso, eu pirava. Passaram-se 15 dias, fiz um novo ultrasson, e, glória a Deus, estava tudo bem. Não havia mais sinal de descolamento de placenta.
Pude retomar com muito cuidado minha vida profissional, minha vida na igreja, minha vida em casa.

Mas, quando tudo parecia estabelecido e resolvido, o que me aparece, o enjôo. Gente a fome tomou conta do meu ser de uma forma devastadora, tudo o que via eu queria comer, mas depois, sem explicação, sem avisar, estava eu com a cabeça quase enfiada na privada vomitando TUDO. Que loucura! Terminava de colocar para fora tudo que havia me dado tanto prazer em comer, estava eu na cozinha procurando alguma coisa para colocar na boca, pois a fome não tinha ido embora, estava lá, doida, me perseguindo.

Os três primeiros meses foram assim, come, come, come, vomita e come. Eles foram embora, a vida começava a voltar ao normal. Ultrasson para saber se o bebe estava bem. Tudo bem! Pré natal! Mas com uma mudança significativa, minha barriga começou a crescer, crescer, crescer, entre esse crescer e crescer descobrimos o sexo do bebe. Já tínhamos decidido os nomes, se for menino, Tiago. Se for menina, Manuela. Resultado: MENINO. O Tiago estava a caminho. Lá vamos nós mandar torpedo para todos que conhecemos, avisar os pais, cachorro, papagaio, periquito e etc.

Agora vinha a próxima etapa, compras. Dinheiro foi algo importante nesse período. Pois sem ele, onde estaria o berço do Tiago? Onde estariam as muitas fraldas, onde estariam as roupas? Planejamento é bom. Mas não imaginamos que iríamos gastar tanto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe suas palavras nesta Torre!