quarta-feira, 9 de março de 2011

História em Capítulo - Capítulo 2

Eu fiquei grávida em novembro de 2009, o dia especificamente eu não sei. Perdoem-me, mas não fico marcando na tabelinha essas coisas. Entende?!
Eu desconfiei que estivesse grávida em uma noite qualquer, quando percebi que minha menstruação estava atrasada, então pedi para o Gustavo (Gustavo é o meu marido) para comprar o teste de farmácia (aquele que, as mulheres que esperam ficar grávida tanto querem que dê positivo e, aquelas que não querem engravidar, mas por algum motivo estão se relacionando por aí, temem com todas as forças). Voltando. O Gustavo comprou o teste, depois que voltamos da casa do tio dele, na bula falava que tinha que realizar o teste na primeira urina da manhã. Fala sério, esperar a noite toda para saber se você está grávida? É quase uma eternidade, não a eternidade divina, mas aquela humana, doida, sem cabimento. Acordei 5 horas da manhã, não agüentava dormir mais, fiquei pensando: pra que dormir, o dia começa às 00:01, então vou ficar acordada para urinar esse horário. Risos. De louco e doido todo mundo tem um pouco. Eu tenho em quantidade bem elevada, mas disfarço bem em alguns lugares. Às 5 horas da madruga levanta a dona Lara para fazer xixi e saber o resultado. Se ficar só um risquinho vermelho deu negativo, se for dois então é positivo, significa: você está grávida minha filha. Isso pode ser traduzido de duas formas, primeira: Parabéns mamãe. Segunda: Como vou falar para os meus pais?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe suas palavras nesta Torre!