terça-feira, 6 de setembro de 2011

Leitura

Estou resgatando na memória o primeiro livro que eu li, mas não consigo me lembrar muito bem. Na escola rural onde estudei não tinha biblioteca, tínhamos um caixa de papelão onde se guardavam os livros e eu ia até a secretaria para pegar nessa caixa um livro para ler e devolver depois, a freqüência com que isso acontecia era mensal.
            Quando tinha 12 anos queria ler outros livros que não fossem os infantis da caixa de papelão e compartilhei esse desejo com a minha catequista (estava me preparando para a 1ª comunhão) e ela me falou que o melhor livro que eu poderia ler era a bíblia, confesso que na hora fiquei chateada, mas fui me aventurar em ler a bíblia com uma linguagem muito erudita, e me esforçava muito para entender as palavras. Li os evangelhos e depois fui ler os salmos, eu achei o livro dos Salmos o mais terrível, depois fui descobrir que eu não entendia o real significa das palavras e por isso, tinha medo delas.
Hoje eu vejo que muitos adolescentes e jovens não lêem por esse motivo, por medo das palavras, pois como não entendem o que realmente querem nos falar, elas parecem monstros prontos para nos devorar e nos leva a uma angústia aterrorizante e, como ficar ao lado de palavras tão más? Então, eles repudiam os livros, as frases, os textos, as palavras que mais parecem fantasmas prontos para atacar e não conseguem se aventurar no mundo da imaginação, na alegria de ler, de viajar e se emocionar e sentir com a leitura.
CORAGEM! Essa é a mensagem para todos. Vamos ousar e encarar os nossos medos, desmistificar as palavras monstros e perceber que há um mundo MARAVILHOSO nos esperando para brincar, sorrir, chorar, viver e voar!

Um comentário:

  1. Ainda bem que Deus dá uma solução prá tudo. Minha bíblia é na linguagem de hoje, pois só assim pra eu 'começar' a compreender melhor os ensinamentos do Pai através das Escrituras.
    Adorei as imagens que você ilustrou este post!

    ResponderExcluir

Deixe suas palavras nesta Torre!