sexta-feira, 12 de agosto de 2011

O plano de Deus se revela quando menos esperamos.

Quero compartilhar alguns fatos que vivi e estou vivendo nestes últimos meses. Sou convertida há pouco mais de 6 meses, me batizei em Fevereiro deste ano. E fui avisada de que poderia sofrer alguns “ataques’ do inimigo.
Me lembro da Priscila nos alertando e comunicando sofre o jejum e oração que a equipe de Integração faria na semana que antecederia ao batismo. E para avisarmos à ela sobre qualquer problema naqueles dias.
A semana correu perfeita, sem problema algum e eu fiquei feliz, pois o inimigo não conseguira nos impedir de nascermos para uma nova vida.
Tudo foi muito bem até que em 28/04/2011 (2 meses e meio após o batismo) sofri um terrível assalto, onde jovens rapazes levaram tudo o que eu tinha dentro do nosso carro, inclusive o carro. E esse tudo compreendia: bolsa com documentos, celulares, chaves, vários itens de bolsa de mulher que passa o dia todo fora de casa – dá pra imaginar que não é pouca coisa, roupas, material da faculdade – de 3 disciplinas que tinha as 5ªs feiras. Enfim, uma perda material muito grande, mas não irreparável, pois EU fiquei viva (e, olha que por 3 vezes achei que o assaltante dispararia o revolver em minha cabeça).
O inimigo enfim conseguiu me atacar, mas Deus o impediu de um extermínio total. E ai pude compreender o quanto ele luta por vidas que ela tinha como ganhas para o seu principado.
Cheguei a conclusão de que ele não acreditava que eu realmente tivesse me libertado de suas garras. Que eu deveria estar ‘empolgada’ com essa coisa nova de nascer de novo, ser liberta pelo sangue de Jesus, e ser filha de um Pai que ama, cuida, protege todos os seus filhos. Quando ele viu que não era ‘fogo em palha’, resolveu me surpreender e me testar.
Durante a 1ª semana após o assalto fiquei muito mal, cometi muitas murmurações, não conseguia dormir, pois à todo tempo me vinha a mente a cena do assalto, ouvia a voz do assaltante... Mas pela graça e misericórdia de Deus, pela intercessão de tantas orações de tantos irmãos, me libertei de tudo isso.
E comecei a tentar recuperar, repor os itens que havia perdido e que eram possíveis de se reporem. Os documentos, cartões, anotações e textos das aulas, telefone, necessaire com itens de maquiagem, higiene pessoal, chaves, estojo e outros. Enfim, continuei vivendo e acreditando mais no poder e graça de Deus.
Dentre os itens da faculdade, eu perdi todas as anotações de estágio (aproximadamente um total de 25 horas de observação) que teria que tê-las para montar o relatório final da disciplina de Gestão da Educação Infantil.  E isso refletiu-se no inicio de junho, quando tive que entregar o relatório final, pois aqueles papéis rabiscados seriam meu “Diário de Campo” e também tinha que ser entregue anexo ao relatório final para a orientadora da disciplina.
A professora foi muito compreensiva, me garantiu que a minha nota não seria prejudicada pelo meu “Diário de Campo” estar incompleto. Mas para eu escrever o relatório as anotações eram extremamente importantes, um apoio de memória mesmo. Com o apoio de Deus, consegui me lembrar de muitas coisas, escrever o relatório, entregar no prazo estabelecido. Ufa! 1ª vitória.
A 2ª vitória veio quando a professora entregou as notas e eu obtive a nota máxima no relatório (e na média final também). Glória a Deus.
E já estava mais do que satisfeita e grata a Deus por tudo isso, e assim vieram as férias de julho. Um prazer abençoado por ficar mais tempos com minha família, fazer as coisas sem correr tanto, dormir algumas horas a mais, frequentar às reuniões de célula, enfim... FÉRIAS!
Esta semana que se passou foi última de descanso, então comecei a arrumar as coisas pra iniciar mais um semestre de estudos, acessar o site da faculdade pra confirmar as disciplinas que cursarei. Então vejo que no final de agosto acontecerá o Seminário da Faculdade de Educação e obrigatoriamente temos que nos inscrever em palestras que ocorrem durante o horário de aula normal. Fiz tudo o que tinha que fazer, as opções de cursos e palestras, tudo certinho.
Na 3ª feira vejo um email da orientadora do estágio. Abro e me surpreendo mais uma vez: ela estava me convidando a expor meu relatório de estágio durante o Seminário de Educação! Aquele mesmo relatório que em algum momento de desespero imaginei que não conseguiria entregá-lo. Uhulll... 3ª vitória!!!!
Isso pra mim foi uma vitória em Cristo muito grande. Fiquei realmente muito agradecida por Deus estar se mostrando presente em todo o tempo. Pois estar cursando uma faculdade a essa altura da minha vida, quem convive bem próximo à mim, sabe que é além da realização de um sonho antigo, é também uma demonstração de que tudo acontece realmente no tempo de Deus.
Ele já havia planejado que o tempo de eu cursar uma faculdade seria agora bem depois dos 30 anos de idade e não aos 16 quando saí do Colegial.
Ele determinou que seria Pedagogia o curso a me formar, e sabia da minha relutância por essa profissão e formação acadêmica.
Ele também permitiu que eu sentisse a Sua graça e misericórdia nos momentos de aflição. Não para me testar, mas para que eu passasse a escutá-lo mais e não me assustasse com as tempestades.
Ele me auxiliou a escrever, estudar, apresentar os trabalhos da faculdade e receber as melhores notas. E como aprendemos com Ele, também temos que compartilhar tudo que recebemos, ganhamos Dele. A Sua palavra sobretudo.
Enfim, Ele está no comando da minha vida e da vida da minha família. Além de feliz, sou eternamente grata pelo amor de Deus. E sei que cada vez mais Ele me conduzirá para poder levar a Sua palavra através dos meus estudos e do meu trabalho com educadora.

Lucilene Mattoso

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe suas palavras nesta Torre!